fbpx

A Psicopedagogia e os princípios de diferentes Ciências Humanas

A Psicopedagogia é um campo de conhecimento que se propõe integrar conhecimentos e princípios de diferentes Ciências Humanas com o objetivo de produzir ampla compreensão sobre os variados processos inerentes ao aprender humano. 

 Como área de conhecimento multidisciplinar, a Psicopedagogia faz a interlocução com vários campos do conhecimento, tais como a Psicologia, a Filosofia, a Pedagogia, a Neurologia, Fonoaudiologia, entre outros. 

Ela estuda o processo de aprendizagem e suas dificuldades, desenvolvendo ação interventiva em caráter preventivo e terapêutico. Segundo Bossa (2000), o termo aprendizagem, com o qual trabalha a Psicopedagogia, “remete a uma visão de homem como sujeito ativo num processo de interação com o meio físico e social”, cujo processo interferem seu equipamento biológico, condições afetivo-emocionais e intelectuais. 

O trabalho psicopedagógico com o idoso visa basicamente inclui-lo na sociedade, incentivando-o a resignificar a vida, por meio da provocação do desejo de aprender. Em que o foco não se limita ao “saber” acadêmico e escolarizado, mas, principalmente, o desejo de aprender a aprender e saber ainda mais com a vida. Promover atividades que possibilitem o desenvolvimento do cérebro da pessoa idosa, por meio de jogos, brincadeiras e desafios, proporcionando novas sinapses, levando à elaboração de novos projetos de vida, reativando a memória, foco atencional, velocidade de processamento e percepção com práticas de leitura, escrita adequadamente lúdicas, são formatos de atuação interventiva psicopedagógica que ajudam à pessoa idosa a voltar a ser o autor de sua própria história, com dignidade e autoestima elevada, simplesmente, porque ainda pode contemplar a vida.  

grupo de idosos

O papel do psicopedagogo é fazer com que o idoso tenha esse novo “olhar” para a vida. Esse profissional deve promover situações de desafios intelectuais que os qualifiquem e promovam significativo bem-estar pessoal. Esta função do psicopedagogo é de grande relevância, visto que, muitos idosos apresentam grande resistência para novas experiências e desafios. O tédio, o ócio, o medo de ousar são sentimentos nefastos que, muitas vezes, afastam o senescente do convívio social. Em tais casos, os idosos se tornam cristalizados em lembranças, saudades e sentimento de abandono. Muitas vezes tornando-se aprisionado a sentimentos negativos sobre seu próprio processo de envelhecimento, com possibilidades de, aos poucos, distorcer sua identidade, sua meta de vida e seu foco.  

Para minimizar, e até superar, o declínio da capacidade de aprender acompanhado do sentimento de solidão, abandono, comprometimento do auto conceito, e adoecimentos, muitas vezes cronificados, o psicopedagogo dispõe de recursos terapêuticos com poder de promover novas elaborações sobre si mesmo e sobre seu poder de cura de muitos males pelas aprendizagens que são capazes de desenvolver. Sendo estas de alto alcance de empoderamento, autonomia e independência, na medida em que eleva a capacidade de desvencilhar-se de práticas e rotinas que maximizam sofrimentos desnecessários. Atividades que permitam a expressão, reflexão e elaboração de sentimentos e ideias por meio de atividades artísticas, como a dança, música, artes cênicas, e tantas outras capazes de fazerem com que o idoso amplie o conhecimento de si e dos outros, enquanto realizam aprendizagem, compõem formatos próprios da técnica interventiva psicopedagógica. 

 Sendo elas capazes de desenvolver habilidades, potenciais e capacidades criativas, produzindo motivação, autonomia e socialização. Estes são alguns dos caminhos possíveis à psicopedagogia rumo a promoção da maturidade emocionalmente saudável à pessoa idosa pela aprendizagem. Sendo assim, é conveniente, importante e necessário sinalizar que o psicopedagogo, ao fazer as intervenções com os idosos, considera o sujeito e seus projetos de vida, as diferentes formas de viver, as concepções, os valores, os interesses e as necessidades individuais e coletivas. 

VINICIUS OFICIAL (1)

Autor Psicopedagogo e Geriatra VINICIUS SANCHEZ

Conheça um pouco mais sobre o autor:


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Chamar no WhatsApp