Por que tanta Discrepância nos Diagnósticos voltados para Aprendizagem?

Tem sido muito comum e frequente ouvir professores dizendo: “parece que toda criança tem hiperatividade ou déficit de atenção”.

Realmente, o número de encaminhamentos para diversos profissionais da saúde mental está em alta.

Segundo dados do Ministério da Educação (MEC), 50% das crianças brasileiras chegam ao final do Ensino Médio com dificuldades de leitura ou escrita – e, dentre elas, 30% foram diagnosticadas como portadoras de deficiência de aprendizado.

Por outro lado, de acordo com a Organização Psiquiátrica Americana, apenas entre 2 e 10% da população mundial apresenta transtornos de aprendizagem.

O que causa essa discrepância nos números?

Podemos quase que afirmar que um dos motivos seja a falta de um Psicopedagogo nas escolas. O trabalho desse profissional tem sido cada vez mais necessário, para que esse índice diminua. Percebemos que existem mais problemas nos métodos de ensino e no próprio sistema educacional do que nos alunos.

Mas parece ser mais fácil dizer que praticamente todos os alunos se encontram com transtornos, déficits, dificuldades, dentre muitas outras desculpas. Sabemos que os problemas de aprendizagem existem, no entanto, sabemos também que existem muitos ensinamentos de faz de conta, infelizmente.

O descaso é histórico com a educação e sua qualidade. Nosso país possui essa divida com a sociedade e até o momento ainda não pagou praticamente nenhum centavo. Nascemos em um país rico e próspero, onde tudo que se planta nasce. Mas, seria apenas a CORRUPÇÃO o problema do Brasil?

Veja que não é tão difícil ter uma Educação de qualidade, basta apenas seguir modelos como o da Finlândia, onde filho de rico e de pobre estudam lado a lado. Olhando para o exemplo histórico da Finlândia percebemos que outro problema gritante do Brasil é a valorização da DESIGUALDADE SOCIAL. Grande parte daqueles que são mais favorecidos não aceitam de forma alguma o fim dessa injustiça social.

Mas, continua sendo mais fácil colocar a culpa no professor e no aluno.

 

Brasil é o segundo país com pior nível de aprendizado, aponta estudo da OCDE

Segundo a reportagem feita pela equipe de reportagem da educacao.uol o Brasil tem o segundo maior número de estudantes com baixa performance em matemática básica, ciências e leitura em uma lista de 64 países de todo o mundo.

Dos 64 países analisados, o Brasil ficou atrás apenas da Indonésia, que tem 1,7 milhão de estudantes com baixo desempenho. Em termos percentuais, o país é o décimo pior avaliado, atrás de Catar, Peru, Albânia, Argentina, Jordânia.

Os números indicam que 1.165.231 estudantes tinham dificuldades em cumprir tarefas básicas nas três áreas de conhecimento. Apenas 3,6% têm aprendizado adequado, o que significa que 96,4% não aprendem o esperado na escola. “É algo muito frustrante”.

caos no ensino PsiquEasy

O Brasil não tem, oficialmente, uma definição clara do que deve ser aprendido em cada nível de ensino. O movimento Todos pela Educação estabelece metas para que em 2022, ano do bicentenário da independência do país, seja garantido a todas as crianças e jovens o direito à educação de qualidade. O movimento estabelece também metas intermediárias de aprendizado.

O que são dificuldades de aprendizagem ?

As dificuldades de aprendizagem são caracterizadas principalmente pela discrepância entre o que a criança deveria ser capaz de fazer e o que ela realmente consegue fazer, o que é comum na dificuldade de aprendizagem é o baixo desempenho escolar.

As principais dificuldades de aprendizagem podem afetar a percepção visual, a linguagem, a coordenação motora, o raciocínio lógico, a capacidade de atenção, imaturidade social. Em grande parte dos casos há pequenas dificuldades que passam despercebidas em casa, mas com a inserção da criança na escola causam um impacto no desempenho da criança.

Nesse contexto qual a importância do Psicopedagogo na Instituição Escolar?

O Psicopedagogo, por sua vez, tem a função de observar e avaliar qual a verdadeira necessidade da escola e atender aos seus anseios, bem como verificar junto ao Projeto Político Pedagógico, como a escola conduz o processo ensino-aprendizagem, como garante o sucesso de seus alunos e como a família exerce o seu papel de parceira nesse processo.

Considerando a escola responsável por grande parte da formação do ser humano, o trabalho do Psicopedagogo na instituição escolar tem um caráter preventivo, procurando criar competências e habilidades para tentar solucionar aos inúmeros casos que aparecem.

Todo Psicopedagogo que compreende seu papel na educação atual, tem o poder de mudar o ambiente ao qual está inserido, basta acreditar e lutar por essa nova forma de Enxergar o Outro, não sendo visto pela sua aparência, mais sim, por toda sua essência (Daliane Oliveira, 2018).

Pensando assim, e em decorrência do grande número de crianças com dificuldades de aprendizagem, a intervenção psicopedagógica tem que ganhar espaço nas instituições de ensino. O trabalho psicopedagógico ainda é desconhecido por muitos, pois está em expansão, sendo assim, se queremos conquistar nosso espaço devemos utilizar as mídias digitais(facebook, whatsapp, twitter, Instagram, outros) para mostrar o quando é importante a intervenção psicopedagógica no que se refere aos problemas de aprendizagem.

 Professores, gestores, coordenadores, e principalmente pais precisam compreender e conhecer o trabalho desse profissional. Compartilhe nossos banners de divulgação da área nas redes sociais.

 


Se gostou da postagem contribua deixando seu ponto de vista(comentários) sobre o assunto, vamos compartilhar saberes.

Veja também: Psicopedagogo na Escola faz toda Diferença

Leia ainda: Quando o Psicopedagogo deve Encaminhar seus aprendentes/pacientes?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Chamar no WhatsApp