Distúrbios de Aprendizagem-TDAH

THDA – Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade

Todos nós, provavelmente, já ouvimos falar do TDAH. Ou lemos sobre o assunto ou conhecemos alguém com o transtorno ou simplesmente reconhecemos colocações como desatento, hiperativo ou impulsivo.

Anteriormente conhecido como distúrbio de déficit de atenção ou disfunção cerebral mínima é um distúrbio neurológico que se caracteriza pela alteração da atenção, impulsividade e hiperatividade. Tem início na infância e atinge 3% a 5% de todas as crianças em idade escolar. Entre os sintomas estão a dificuldade em sustentar a atenção ou focalizar numa tarefa por muito tempo, extrema agitação (não consegue ficar sentado, muda constantemente de atividade, se intromete em conversas e atividades dos outros), age com impulsividade. Afeta mais os homens do que as mulheres (3 para 1).

Estudos indicam que os fatores desencadeantes desse transtorno são genéticos, embora talvez não o transtorno em si, mas sim uma vulnerabilidade herdada, além de fatores ambientais contribuírem significativamente, como problemas de relação familiar, complicações na gestação ou durante o parto.

São vários os critérios avaliados de comportamentos para apontar a hipótese desse diagnóstico.

A criança (ou também um adulto) deve apresentar pelo menos seis dos sintomas de desatenção e/ou hiperatividade e impulsividade, sendo que estes devem estar presentes em pelo menos dois ambientes diferentes (casa, escola, atividades sociais) e devem estar persistindo por pelo menos seis meses. O indivíduo enquadrado nestes sintomas deve ser encaminhado para avaliação profissional: neurologista, psiquiatra ou um profissional que tenha experiência com o transtorno.

Os sintomas oficiais do THDA são inatenção, impulsividade e, às vezes, mas nem sempre, hiperatividade ou excesso de energia. Essas pessoas geralmente apresentam:

  •  Inconstância;
  • Criatividade;
  • Comportamento provocador;
  •  Personalidade cativante;
  • Pouca motivação;
  • Esquecimento irritante;
  • Desorganização;
  • Baixo rendimento;
  • Impulsividade e busca de emoções fortes.

O tratamento é realizado com metilfenidato, mais conhecido como a Ritalina, que atua como um fraco estimulante do sistema nervoso central, inibindo o transporte de dopamina (neurotransmissor, precursor natural da adrenalina e da noradrenalina) no cérebro.

Segundo Pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), no entanto, descobriram que, além de não ter efeitos cognitivos esperados no cérebro de pessoas saudáveis, a “pílula da inteligência” ainda pode aumentar a chance de desenvolver problemas cardiovasculares. 

Esse medicamento deve ser utilizado por adultos ou crianças acima de sete anos e antes de prescrito, deve-se fazer uma avaliação no histórico do paciente. Também é fundamental a intervenção de um psicoterapeuta e psicopedagogo. Este conjunto combinado é chamado de intervenção multimodal e serve para um adequado equilíbrio também emocional do paciente, família e professores.

Os pais e/ou cuidadores devem estar bem esclarecidos e orientados quanto ao TDAH.

Muitos se queixam do comportamento, perdem a paciência e não sabem lidar com estas crianças e por falta de informação, acabam agravando mais os sintomas. Existem estratégias que, sendo trabalhadas em conjunto com os envolvidos, podem amenizar a tensão e melhorar o relacionamento.

É importante lembrar que nem todas as crianças que apresentam os sintomas comportamentais de desatenção, hiperatividade e/ou impulsividade são realmente perturbadas pelo TDAH. Percebe-se também, muitos destes sintomas originados de problemas psicológicos e por isso enfatizamos a importância de saber o histórico desse paciente e a intervenção terapêutica.

O que pode ocorrer nestes casos é uma falta de atenção dos pais e/ou cuidadores à criança e não que a mesma possua o déficit de atenção e sendo assim, ela se utiliza de certos mecanismos para chamar a atenção para si.

Fonte: http://www.ebah.com.br/content/ABAAAgyyAAB/disturbios-aprendizagem

Links com Sugestões de Atividades para trabalhar com alunos com TDAH:

Jogos que elevam o nível de atenção em crianças com TDAH

Atividades lúdicas para alunos com Déficit de Atenção

Estratégias e exercícios para alunos com Déficit de Atenção

Atividades lúdicas (brincadeiras) para estimular a concentração das crianças com TDAH

Indicação de Leitura: Psicopedagogia/Psicologia/Psiquiatria/Fonoaudiologia e demais áreas da educação e saúde da mente.

Veja também: O Nascimento Precoce está Associado ao TDAH?

Leia ainda: ESCALA DE COMPORTAMENTO ADAPTATIVO

2 comentários em “Distúrbios de Aprendizagem-TDAH

  • 16 de outubro de 2018 em 10:53
    Permalink

    EXCELENTE!
    MUITO ESCLARECEDOR!!!

    Resposta
    • 16 de outubro de 2018 em 15:12
      Permalink

      Olá Denise, estamos felizes em poder contribuir de alguma forma. Continue nos visitando, toda semana temos novas postagens. Abraços carinhosos.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Chamar no WhatsApp