Como Acelerar a Aprendizagem com os Conceitos de PNL e Coaching?

Como as técnicas de PNL podem contribuir no Atendimento Psicopedagógico/Neuropsicopedagógico?

programação neurolinguística (PNL) foi desenvolvida em meados da década de 70, na universidade da Santa Cruz, na Califórnia, nos Estados Unidos, pelo psicólogo Richard Bandler e pelo linguista John Grinder. Os dois estudiosos se uniram para entender a razão de algumas pessoas alcançarem resultados acima da média, enquanto outras não.

A pressuposição da PNL é que cada ser humano possui, ou pode adquirir, os recursos de que necessita para alcançar seus objetivos e metas, desenvolver-se e realizar-se criativamente. Entre tais recursos, o mais fundamental é o da capacidade de aprender e, consequentemente, de progredir.

PNL postula tais atitudes de aprendizagem para todos os seres humanos. Afirma que o quê uma pessoa consegue fazer, outra também poderá: basta obter a estratégia para tal. Tal assertiva, e tantas outras, não são necessariamente verdadeiras – mas o importante é verificar sua utilidade, e não sua veracidade.

Outra pressuposição da PNL é que todo o comportamento tem uma função positiva.

A PNL estuda como o cérebro e a mente funcionam, como criamos nossos pensamentos, sentimentos, estados emocionais e comportamentos e como podemos direcionar e otimizar esse processo. Em outras palavras, ela estuda como o ser humano funciona e como ele pode escolher maneira que quer funcionar.

A aprendizagem é um processo constante que pode ser definido como mudanças adaptativas no comportamento, decorrentes das experiências da vida. Geralmente isto envolve um processo no qual a pessoa altera o seu comportamento para modificar os resultados que está gerando no seu ambiente e estabelece experiências pessoais de referência e mapas cognitivos.

A aprendizagem, então, envolve a capacidade de estabelecer mapas cognitivos e experiências de referência e perceber o estado do ambiente para que os mapas e experiências adequados sejam ativados, produzindo os resultados desejados no contexto em causa.

como aprendemos

Na PNL, considera-se que a aprendizagem ocorre através de programas neurolinguísticos, isto é, a pessoa constrói mapas cognitivos dentro do seu sistema nervoso, conectando-os com observações do ambiente e respostas comportamentais. Mapas cognitivos são construídos por influência da linguagem e de outras representações que ativam padrões coerentes no sistema nervoso.

A aprendizagem de “como aprender” envolve a aquisição de um conjunto de estratégias e aptidões que apoiam esse processo em vários contextos, visando acelerá-lo e melhorar sua eficácia.

NÍVEIS NEUROLÓGICOS DA APRENDIZAGEM

Os Níveis Neurológicos de Aprendizagem e Mudança foi desenvolvido por Robert Dilts e adaptada por Bernd Isert, a fim de ilustrar a hierarquia neurológica do ser humano para compreensão e importância do desenvolvimento de missão, propósito, visão, valores e legado. Uma das aplicações dos Níveis Neurológicos é potencializar resultados e realizar sonhos de uma forma completamente alinhada e congruente com o significado e sentido da vida de cada um.

Os 6 níveis neurológicos de Robert Dilts determinam onde podemos atuar para o desenvolvimento do indivíduo em todos os aspectos de sua vida.

Os níveis são:

1 – Ambiente: É o ambiente externo à pessoa, e representa onde a pessoa atua em determinado papel. É o nível responsável por determinar onde e quando, dentro de limites, as coisas acontecem.

2 – Comportamento: São as ações que a pessoa executa em um determinado ambiente. É o nível responsável pelo que fazemos em determinados lugares e momentos.

3 – Capacidade: É o como executamos um determinado comportamento. É o nível responsável pelas estratégias utilizadas pelas pessoas com suas habilidades em executar as ações.

4 – Crenças e Valores: É o por que das ações ou pensamentos das pessoas. É o nível responsável  pelas coisas que as pessoas acreditam (crenças) que são seus princípios e valores, e que os guiam, motivam e permitem (ou não) a fazer determinadas coisas.

5 – Identidade: É o EU. É o nível responsável por responder quem SOU EU e porque eu estou aqui, existo e faço as coisas que faço.

6 – Espiritualidade: É o nível mais alto de todos, e está inclusive acima do EU. É o nível responsável por relacionar o EU com a família, amigos, crenças e tudo aquilo que transcende o nosso EU mas se relaciona com ele.

A partir disso, José Roberto Marques do Instituto Brasileiro de Coaching (IBC) transformou e expandiu estes conceitos e criou a Pirâmide do Processo Evolutivo aplicada no Coaching que é composto por sete níveis: Ambientes, Comportamento, Capacidades e Habilidades, Valores e Crenças, Identidade, Afiliação e LegadoPara ver os detalhes dos níveis da Pirâmide do Processo Evolutivo clique aqui.

Piramide-Processo-Evolutivo-blog

4 fases do aprendizado na programação neurolinguística (PNL)

Fontes das pesquisas:

https://golfinho.com.br/artigo/as-pressuposicoes-da-pnl-no-processo-de-aprendizagem.htm

http://aprendavencer.com.br/niveis-neurologicos/

http://focuslife.com.br/4-fases-do-aprendizado-pnl/

antes-depois-do-psiqueasy

Leia mais: Distúrbios de Aprendizagem-TDAH

Veja ainda: Jogo no Processo de Ensino e Aprendizagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Chamar no WhatsApp