fbpx

“A PNL é uma terapia?” ou “A PNL é uma inimiga da psicologia?”.

Programação Neurolinguística

A Programação Neurolinguística (PNL) tem crescido nos últimos tempos e surgem dúvidas, como: “A PNL é uma terapia?” ou “A PNL é uma inimiga da psicologia?”.

PNL é terapia?
formação-de-pnl

Antes de ter o nome de Programação Neurolinguística, em sua origem, a PNL surgiu através de uma iniciativa em se modelar a excelência humana. Entretanto, o primeiro problema surgiu justamente por não existir uma definição ou métrica precisa para definir o que é a excelência humana.

Para resolver essa charada, Bandler e Grinder usaram da experiência subjetiva da pessoa que era modelada. Pergunte à alguém “você se considera bem sucedido?”, se a resposta for um “sim” congruente, logo você tem à sua frente uma pessoa de sucesso.

Esse processo de modelagem foi aplicado de forma especial em 3 terapeutas renomados: Milton Erickson, Fritz Pearls e Virginia Satir. Dessa forma, em sua origem a PNL modelou vários elementos terapêuticos que podiam, e ainda podem, ser utilizados por quais quer pessoas treinadas. Foi assim que a PNL ganhou fama de terapia, apesar de, em essência, não o ser.

PNL é inimiga da psicologia?

Em consonância com a resposta anterior, vem uma nova dúvida: “um psicólogo pode usar a PNL?”. Sim! Explico:

Já sabemos que a PNL em si não é terapia, portanto também não pode ser considerada uma concorrente. Entretanto, há muitos terapeutas que usam a PNL para ter mais resultados em menor tempo e isso gera certa preocupação entre os psicólogos.

Esta preocupação é desnecessária, já que Bandler buscava entender de maneira lógica porquê uma mesma abordagem terapêutica poderia ter resultados diferentes quando mudava o terapeuta ou o paciente. Por isso ele começou a modelar esses terapeutas já citados, a fim de descobrir quais elementos, além da abordagem, faziam a diferença nos atendimentos.

Assim, ele descobriu que esses elementos são padrões de comunicação que podem ser usados em qualquer interação humana, seja terapia ou não. Ou seja, as técnicas que foram modeladas pela PNL não substituem a psicologia ou outras terapias, pelo contrário, elas são ferramentas paralelas que maximizam os resultados.

Os resultados da PNL são duradouros?

A PNL é estudada desde o início dos anos 70. Desde então o número de pessoas que relatam mudanças positivas e consistentes em suas vidas só cresce.  O fato é que como a PNL se preocupa com a “ecologia” das mudanças, ou
seja, verificar se a mudança desejada trará apenas os resultados desejados, sem “consequências negativas”, as causas originais tendem a não retornarem.

É importante pontuar que a PNL possui origem pragmática, portanto, esta não pressupõe estar certa, nem pressupõe verdades científicas ou existenciais. Se você alguma vez ouviu algum desses aspectos relacionados à PNL, saiba que é mera especulação ou opinião do locutor. Muitos psicólogos buscam cursos de PNL para melhorarem suas práticas terapêuticas. Não como uma abordagem substituta, mas como técnicas auxiliares.

 Rafael Rocha coach
Autor do Artigo:
Coach e Master Trainer em PNL
Rafael Rocha
iNLP Center Brasil

(45) 99138.6678

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Chamar no WhatsApp