Qual deve ser a postura do Psicopedagogo frente à falta de limites?

  Antigamente, a instrução dos filhos era dever exclusivo da família, isso nunca deveria ter mudado mas, MUDOU.

Mas a vida foi se complicando e o conjunto dos conhecimentos a serem adquiridos por uma pessoa também se estendeu indefinidamente. O resultado disto é que a escola tomou, aos poucos, o encargo de instruir as crianças a os adolescentes. Muitos até lhe atribuem à missão de formar-lhes o caráter (WEIL, 1988, p. 61).

A família, muitas vezes, pede socorro, e a postura da educação escolar deve ser acolhedora, ajudando e dando suporte a esses pais, tornando-se aliados na tarefa de educar.

Para Araújo & Sperb (2002), “a escola, além de ser uma instituição responsável pelo desenvolvimento do conhecimento formal, também desempenha um papel importante no estabelecimento dos limites infantis” (2002, p. 186).

O psicopedagogo, portanto, tem um papel fundamental como elo entre essas duas instituições – a familiar e a pedagógica.

Ao estar diante de um problema vinculado à falta de limites, o psicopedagogo deverá investigar “sobre a origem da dificuldade de, bem como a compreensão de seu processamento, considerando todas as variáveis que intervêm neste processo” (RUBINSTEIN, 1992, p. 103) para que possa, a partir disso, pensar sobre seu método de intervenção.

A tarefa do educador vai além da sala de aula, deve buscar uma proximidade com a vida do aluno, buscando sempre novas estratégias. Para Tavares, Gomes e Carvalho:

Educar significa desvendar realidades com o outro, e, nesta aventura, a relação interpessoal favorável, a empatia têm um papel de suma importância. É necessário romper com o tradicional, encontrar estratégias de renovação e inovação em sala de aula, indo além da comodidade de trilhar caminhos já percorridos que não representam nenhum risco ao educador. (2009, p. 140)

Veja o que diz Arata sobre o assunto:

E embora os problemas de aprendizagem e indisciplina comecem em casa, a escola tem uma parcela de contribuição nessas dificuldades, e o psicopedagogo pode estar identificando quais são as necessidades da escola e como esta pode ajudar no desenvolvimento da criança (GRASSI, 2009, p. 16).

Fonte da Pesquisa: http://www.efdeportes.com/efd189/a-falta-de-limites-na-educacao-dos-filhos.htm

antes-depois-do-psiqueasy

Veja também:Apostila com mais de 60 Modelos de Documentos Psicopedagógicos

Leia ainda:Mais de 200 Testes/Materiais para o Atendimento Psicopedagógico

2 thoughts on “Qual deve ser a postura do Psicopedagogo frente à falta de limites?

  • 10 de outubro de 2019 em 22:35
    Permalink

    Hello there! I could have sworn I’ve been to this website before but after checking
    through some of the post I realized it’s new to me.
    Anyways, I’m definitely happy I found it and I’ll be book-marking and checking back frequently!

    Resposta
  • 11 de outubro de 2019 em 11:28
    Permalink

    I’m really enjoying the theme/design of your weblog.
    Do you ever run into any web browser compatibility problems?
    A few of my blog visitors have complained about my blog not operating correctly
    in Explorer but looks great in Chrome. Do you have any advice to help fix this problem?

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Chamar no Whatsapp