fbpx

Como o isolamento na Pandemia impacta a saúde das crianças?

O isolamento por causa da pandemia está refletindo na forma que as crianças se comportam e desenvolvem. Sono alterado, emoções à flor da pele, ensino a distância…tudo tem deixado nossas crianças muito irritadas.

criança chorando
O isolamento social repercute em aspectos que vão do desenvolvimento emocional à educação infantil.

De repente, os pequenos foram arrancados de sua rotina e trancafiados em casa sob a ameaça de um inimigo invisível.

De acordo com Guilherme Polanczyk, professor de psiquiatria da infância e adolescência da Faculdade de Medicina da Universidade de SP, “o confinamento vai impactar de alguma forma a vida de todas as crianças”, afirma.

A vulnerabilidade psicológica das crianças consideravelmente é bem maior.

Crianças, adolescentes e pessoas mais jovens foram menos afetadas pela Covid-19, pois apresentam menos comorbidades que os grupos de risco.

No entanto, mesmo as manifestações dos sintomas físicos sendo menores entre a população jovem, eles estão mais vulneráveis a problemas emocionais graves devido às situações e vivências que geram sofrimento. Nesse sentido, a atenção e o cuidado com a saúde mental desse grupo é essencial para a redução dos perigos à saúde mental, um dos efeitos da quarentena.

Distúrbios emocionais que surgem na infância e na adolescência podem representar graves prejuízos à idade adulta. A preocupação da Saúde Pública é ainda maior devido às dificuldades de controlar os episódios de ansiedade, vistos com mais frequência na pandemia de coronavírus.

Quando comparados às condições normais, o risco de sequelas resultantes dos desajustes mentais na juventude é muito mais significativo durante esse período de quarentena. Por isso, os pais e responsáveis por esses indivíduos devem estar atentos aos sinais que sugerem algum tipo de desequilíbrio de ordem emocional.

Assim, é necessário minimizar os impactos negativos das mudanças de rotina, principalmente no que se refere às alterações do ambiente.

Conheça alguns dos maiores impactos sobre o estado psicológico desse grupo durante a pandemia. Veja quais são:

  • insônia;
  • irritabilidade;
  • crise de ansiedade;
  • dificuldade para adaptação ao confinamento;
  • falta de paciência para lidar com os pais e irmãos;
  • tendência ao desenvolvimento de episódios depressivos;
  • pensamentos e emoções resultantes de situações estressantes.

É possível controlar os efeitos da quarentena na saúde mental de crianças e adolescentes por meio da adoção de medidas terapêuticas adequadas e também através do acompanhamento dos pais ou responsáveis.

Dicas em tempos de Pandemia.

Veja as 12 dicas que as autoras Deisilly de Quadros e Gisele do Rocio Cordeiro do site uninter.com disponibilizou. O objetivo destas dicas é apontar possíveis caminhos para tornar a rotina em casa mais tranquila, alinhando trabalho, estudo e tarefas domésticas:

  1. Os pais ou responsáveis precisam buscar conhecer junto com osfilhos a plataforma, canal de comunicação, ambiente virtual, em que serão disponibilizadas as matérias;
  2. Manter a rotina com os filhos: horário de dormir e acordar, tomar o café da manhã, almoçar, realizar as atividades da escola como faziam;
  3. Preparar o material escolar da criança: caderno, estojo, deixando tudo organizado para assistir à aula;
  4. Procure organizar o espaço onde a criança assistirá à aula, de preferência um lugar arejado, tranquilo e claro;
  5. É necessário assistir à aula completa;
  6. É importante que a criança registre os conteúdos no caderno, folha ou material que tiver disponível;
  7. A concentração é importante, então cuidado para que outros ruídos de televisão e conversas não distraiam a criança;
  8. É importante montar um cronograma organizando os horários de estudo e as entregas de trabalhos e avaliações;
  9. Os jovens podem realizar esta etapa com mais autonomia, para que não se sintam pressionados;
  10.  Combinar a pausa das suas atividades de home office com o intervalo dos filhos: é importante respeitar os intervalos, assim como no colégio;
  11. Valorizar a realização de atividades domésticas junto com as crianças: cozinhar, colocar a mesa, tirar o pó dos móveis. Isso também é um momento de aprendizagem;
  12. Reservar momentos para o lazer: assistir a filmes, ler livros, ouvir música e brincar também são atividades importantes.

Há ainda pais que precisam sair de casa para ir presencialmente ao trabalho. Provavelmente, os filhos ficarão em casa. Assim mesmo, é preciso estabelecer uma rotina e acompanhá-los quando retornarem.

Enfim, sem dúvida, esse tempo ficará cravado na memória: tempo de repensar o ritmo, de recriar afetos, pensar novos caminhos para a educação.

Fontes da Pesquisa:

Leia mais em: https://saude.abril.com.br/familia/pequenos-confinados-como-o-isolamento-impacta-a-saude-das-criancas/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Chamar no WhatsApp