O que fazer no Primeiro Atendimento Neuropsicopedagógico?

É muito comum ver profissionais inseguros em seus primeiros atendimentos.

Isso não acontece apenas na Neuropsicopedagogia é um fato corriqueiro em diversas profissões. O primeiro paciente causa certo desconforto, surge nesse primeiro momento, à sensação de parecer pouco profissional, de não saber ao certo o que falar e até mesmo de não saber agir dependendo de quão delicada for à situação apresentada. Enfim, o medo de parecer inexperiente diante da família faz as pernas tremerem e o coração bater cada vez mais forte.

Mas, tenha calma.

Tanto no âmbito pessoal como no profissional, é muito importante ir à luta e estar sempre disposto a enfrentar novos desafios. Este tipo de abertura para as novidades nos faz sair da zona de conforto, abrir novas perspectivas, conquistar mais experiência e adquirir autoconfiança.

Ao enfrentar o medo do novo, abrimos um universo repleto de possibilidades e oportunidades. Por mais desafiador que isso possa parecer, cada meta e objetivo conquistados mostram, justamente, como é essencial ousar e permitir-se ir além.

Quais as vantagens de aceitar novos desafios?
  1. Sair da zona de conforto;
  2. Não estagnar-se profissionalmente;
  3. Acumular novas experiências e conhecimentos;
  4. Aprender a superar obstáculos e seguir em frente;
  5. Ganhar projeção profissional e aumentar a resiliência;
  6. Desafiar os próprios limites e ir além;
  7. Criar oportunidades de sucesso;
  8. Evidenciar suas competências e habilidades;
  9. Desenvolver maior versatilidade profissional;
  10. Tornar mais ágil a resolução de problemas;
  11. Acessar novas possibilidades na vida e carreira;
  12. Abertura para aprender e compartilhar conhecimento;
  13. Valorização profissional e aumento da autoestima;
  14. Maior reconhecimento de suas capacidades individuais;
  15. Oportunidade de trabalhar em equipe e ter novas experiências;
  16. Mostrar seu lado criativo, capacidade de ação e colaboração;
  17. Desenvolvimento de visão sistêmica.
Pensando nisso, conheça algumas dicas úteis que vão te ajudar a lidar com os desafios do primeiro atendimento, além de abrir o caminho para o sucesso:
  • Mantenha a calma;
  • Procure se aconselhar com os mais experientes;
  • Trabalhe estratégias;
  • Não tenha medo de correr riscos (Lembre-se, não assumir riscos é o maior risco de todos os tempos.);
  • Acredite em si mesmo (Se você não tem fé em si mesmo, como pode esperar que os outros acreditem em você?);
  • Dê uma pausa sempre que for necessário respirar fundo.
Conheça algumas sugestões para iniciar seu primeiro atendimento:

Antes de qualquer coisa é preciso recepcionar bem seu paciente e a família. Eles devem sentir que estão no lugar certo, isso é realmente muito importante. É sempre bom explicar um pouco sobre a atuação e o processo de avaliação a família, muitas vezes eles estão no consultório por encaminhamento de algum profissional, mas não sabem ao certo o que estão fazendo ali.

É sempre bom manter um trabalho com transparência promovendo assim a credibilidade.  Os pais/responsáveis devem compreender que o objetivo da avaliação esta focado em investigar a hipótese diagnóstica e que serão feitas algumas seções para avaliação, e que cada seção terá um objetivo e que todos os dados colhidos servirão para a elaboração do relatório diagnóstico e do plano de intervenção. Após esses momentos você pode seguir os seguintes passos:

Primeiro passo será a Anamnese:

A anamnese é o momento de você conhecer o seu paciente pelos olhos dos outros, a família vai chegar e contar tudo que os aflige, será quase uma terapia familiar, não perca a objetividade, faça as perguntas “chave” para aperfeiçoar o tempo e coletar as informações que precisa.

Anamnese significa história de vida, para Porto (2009), “constitui-se em um instrumento muito útil para o processo diagnóstico, pois auxilia a investigação do objeto focal […] as possíveis causas das dificuldades de aprendizagem do sujeito.”

A consulta da anamnese tem tempo de duração de 30 a 50 minutos. Não é recomendado que a criança esteja presente durante esse procedimento.

Segundo Passo: Contrato de Atendimento

Por se tratar de um bem intangível, oferecer um serviço é bem diferente de vender um item físico. Para isso, o contrato de prestação de serviços, que nesse caso chamamos de Contrato de Atendimento, que é uma prestação de serviço, existe de modo a firmar a parceria que existe entre o contratante e o contratado. O funcionamento do contrato de atendimento já deixa claro qual é a sua relevância: proteger as duas partes. Caso o contratante ou o prestador não cumpra sua parte, o contrato oferece respaldo jurídico para que uma das partes ou ambas procurem a Justiça em busca de reparação.

O Contrato de Atendimento serve para tratar valores, estabelecer número de seções, prever a data de devolutiva dentre outras informações que são de suma importância. Muitos profissionais optam pelo contrato verbal, porém o contrato verbal acaba causando muitos contratempos, como:
  • O paciente acaba faltando e não pagando a consulta, com o contrato ele precisa arcar com o valor pelo não comparecimento;
  • Quando você não tem contrato, os pagamentos ficam desmembrados, o que acaba atrapalhando a contabilidade;
  • A falta do contrato faz com que a família se isente do compromisso de dar sequência ao tratamento, o que atrapalha o planejamento do profissional e o aproveitamento e evolução do paciente;
  • O contrato obriga a família a procurar profissionais complementares e fazer exames quando solicitado.
  • O contrato gera um ar de profissionalismo e é a forma mais coerente de fechar esta seção.
Documentos utilizados nas Sessões Neuropsicopedagógicos, são de fundamental importância, veja:

O processo de avaliação Neuropsicopedagógica deve considerar todos os objetos dos procedimentos (sessões realizadas). Esses profissionais, ao produzirem documentos escritos, devem se basear exclusivamente nos instrumentais técnicos (entrevistas, anamneses,  testes, observações, atividades, escuta, intervenções verbais) que se configuram como métodos e técnicas neuropsicopedagógicas para a coleta de dados, estudos e interpretações de informações a respeito da pessoa  atendida, assim como outros materiais e documentos produzidos anteriormente e pertinentes á questão.

Modalidades de DocumentosModelos de documentos Neuropsicopedagógicos
  • Informes
  • Devolução
  • Declaração
  • Comprovante de Acompanhamento
  • História de Vida
  • Anamneses
  • Autorização
  • Encaminhamento
  • Contrato
  • Relatório
  • Laudo dentre outros…

 

É fundamental que os profissionais tenham muita atenção ao produzir quaisquer documentos, visto a importância dos mesmos. Conheça nossa APOSTILA COM + DE 60 MODELOS DE DOCUMENTOS NEUROPSICOPEDAGÓGICOS

Próximos Passos: Processo de Investigação e levantamento de Informações sobre a Aprendizagem (Processo de Avaliação)
No processo de avaliação, recomenda-se que o profissional solicite de 8 a 10 sessões para investigação, neste processo podemos organizar as sessões da seguinte forma:
  1. Entrevista com os pais/responsáveis (envio  do questionário para escola);
  2. Entrevista com o paciente;
  3. EOCA LÚDICA – Entrevista Operativa Centrada na Aprendizagem;
  4. Testes escolares e provas projetivas do desenho;
  5. Avaliação de atenção, percepção e memória;
  6. Aplicação de testes matemáticos ;
  7. Aplicação de testes de leitura e escrita;
  8. Aplicação de testes de funções executivas e cognitivas;
  9. Visita à Escola (conversar com professor, coordenador, psicopedagogo, psicólogo, realizar entrevistas com os mesmos caso seja necessário);
  10. Devolutiva para família, com plano de intervenção e encaminhamentos(caso necessário).

Material riquíssimo para investigação das dificuldades de aprendizagem durante as sessões: Coleção Completa de Materiais para Dificuldades Específicas de Aprendizagem

capas da coleção de Materiais para Dificuldades Específicas de Aprendizagem – DAE
Compete ao profissional de neuropsicopedagogia:
  • Avaliar o indivíduo, através de testes que não sejam restritos a outras áreas, para verificação de transtornos, síndromes, dificuldades de A avaliação pode ser qualitativa ou quantitativa;
  • Intervir para criar estratégias de otimização do quadro avaliado;
  • Acompanhar e orientar estudos e auxiliar em estratégias;
  • Elaborar o parecer diagnóstico pós avaliação e realizar os devidos.

Ao Neuropsicopedagogo compete procedimentos que contribuirão de diversas formas no desenvolvimento do paciente. Essas foram algumas sugestões para auxiliar o trabalho desse profissional. Logo traremos outras novidades. Se você tem alguma sugestão e/ou experiência compartilhe conosco, vamos ajudar milhares de profissionais enfrentarem o desafio que é o “Primeiro Atendimento” e “o que fazer nas demais sessões”.

 

Sistema para Gestão de Clínica Psicopedagógica

Para organizar seus atendimentos conheça nosso software com uma versão gratuita para você, acesse o link https://psiqueasy.com.br e faça seu cadastro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Chamar no WhatsApp