fbpx

Síndrome do Cri Du Chat – Deficiência Intelectual

O distúrbio é caracterizado por deficiência intelectual e atraso no desenvolvimento, além disso, os pacientes costumam apresentar microcefalia (pequeno tamanho da cabeça), baixo peso ao nascer e tônus muscular fraco (hipotonia) na infância.

Cri-du-chat, ou síndrome 5p-, é uma condição rara que resulta quando um pedaço do cromossomo 5 está faltando. Também é conhecida como síndrome do choro de gato, já que bebês com essa condição geralmente têm um choro agudo que soa como o de um gato. 

Indivíduos afetados também têm características faciais distintas, incluindo olhos amplamente fixados (hipertelorismo), orelhas baixas, uma mandíbula pequena e um rosto arredondado. Algumas crianças com síndrome de cri-du-chat nascem com algum problema cardíaco.

Você conhece os Sinais e Sintomas?

O diagnóstico dessa condição pode acontecer ainda antes do nascimento com um teste genético, chamado amniocentese. No entanto, a síndrome costuma ser identificada nos primeiros anos de vida e geralmente apresenta os seguintes sintomas:

  • Choro que é incomumente agudo e soa como um gato
  • Baixo peso ao nascer e crescimento lento
  • Deficiência intelectual
  • Desenvolvimento lento ou incompleto de habilidades motoras
  • Cabeça pequena (microcefalia)
  • Pequena mandíbula (micrognatia)
  • Olhos arregalados
  • Inclinação para baixo para os olhos
  • Uma dobra extra de pele sobre o canto interno do olho (dobras Epicanthal)
  • Orelhas de configuração baixa ou anormal
  • Marcas de pele apenas na frente da orelha
  • Correia parcial ou fusão de dedos ou dedos dos pés
  • Única linha na palma da mão
  • Tônus muscular baixo
  • Hérnia inguinal
  • Separação dos músculos na área da barriga (diástase recta)
  • Problemas com a dobra das orelhas externas

Intervenções Pedagógicas com crianças com Síndrome Cri Du Chat.

Amorim (2011) traz, em seu estudo, importantes intervenções pedagógicas que auxiliam na alfabetização, inclusão social e escolar, e também cuidados com a higiene corporal para estudantes que possuem Síndrome Cri-Du-Chat. A autora aponta o método fônico para a alfabetização dos educandos. Este método consiste na utilização da fala (fonemas) e das letras (grafemas) para análises fonológicas por parte dos estudantes e a construção de palavras com letras soltas. Exercícios com a boca são realizados em frente ao espelho, para que haja uma percepção por parte do estudante entre os movimentos realizados e os sons emitidos. Após isso, as letras soltas são unidas para a construção da palavra escrita, configurando-se, assim, em uma abordagem multissensorial para o aprendizado de leitura e escrita.

A partir do exposto, aventa-se que com a educação especial precocemente desenvolvida e enriquecida com técnicas diferenciadas e adequadas à realidade de cada aluno, e também com o apoio da família, algumas crianças com Síndrome Cri-Du-Chat podem conquistar patamares sociais e psicomotores presentes em uma criança sem Cri-Du-Chat, ou qualquer outro comprometimento, de cerca de seis anos de idade. As habilidades motoras finas são sim atrasadas, mas há casos em que algumas crianças estão conseguindo aprender a escrever (LEITE e CABELLO, 2013).

Fonte:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Chamar no Whatsapp