fbpx

Critérios de Avaliação Psicopedagógica do Processamento Sensorial

Transtorno do Processamento Sensorial ainda é Desconhecido por muitas pessoas.

 

Hoje iremos conhecer  um tema que para muitos ainda é desconhecido.  Trata-se de algo com origem no funcionamento cerebral que traz como consequência uma inadaptação ambiental do indivíduo em alguns momentos da vida. Esta dificuldade atualmente é denominada TRANSTORNO DO PROCESSAMENTO SENSORIAL – TPS.

TPS – sigla usada para referir à dificuldade que o cérebro encontra para processar informações através dos órgãos dos sentidos, ou seja, a visão, a audição, o tato, o olfato, o paladar e também o sistema vestibular e o proprioceptivo quando estes não respondem adequadamente a determinados estímulos vindos do meio. Isso acarreta uma desregulação no indivíduo representada por comportamentos fora do padrão.

Os sujeitos com TPS sentem o mundo de modo diferente, às vezes as informações são percebidas de modo mais intenso, ou em outros momentos são percebidas de modo menos intenso. Referimos que estes sujeitos têm uma hipersensibilidade ou hiposensibilidade ao estímulo que incidiu sobre os órgãos dos sentidos.

O TPS atualmente é diagnosticado através de uma avaliação observacional seguindo alguns protocolos. É realizada por Terapeuta Ocupacional o qual também será responsável pelos devidos encaminhamentos para que o sujeito em questão consiga desenvolver-se.

Para ser considerado com TPS o indivíduo deve apresentar um continuum de reações frente a diferentes experiências sensoriais a ponto de tais experiências tornarem-se “perturbadoras”, gerando impacto negativo no desenvolvimento deste indivíduo.

TPS 1 PSIQUEASY

Sinais de disfunção tátil:
  1. Hipersensibilidade ao toque (defesa tátil)
  • torna-se temeroso, ansioso ou agressivo com toque de luz ou inesperado;
  • não gosta de ser abraçado;
  • pode voltar do arco, chorar e se afastar;
  • angustiado quando a fralda está sendo tirada;
  • parece temeroso e/ ou evita ficar de pé na proximidade de outras pessoas ou pares;
  • torna-se assustado quando tocado por trás ou por alguém/algo que eles não podem ver (tais como debaixo de um cobertor);
  • reclama ter cabelo escovado;
  • pode ser muito exigente sobre o uso de uma escova em especial;
  • incomodado por lençóis áspero;
  • evita situações de grupo por medo do toque inesperado;
  • resiste ao toque amigável ou carinhoso de alguém, além de pais ou irmãos (e às vezes eles também!);
  • não gosta beijos, vai “limpar” lugar onde beijou, prefere abraços;
  • uma gota de chuva, água do chuveiro, ou vento soprando na pele pode sentir como tortura e produzir adverso;
  • pode parecer exagerado para pequenos cortes, arranhões, e/ou outros tipos de machucado;
  • evita tocar certas texturas de material (cobertores, tapetes, bichos de pelúcia);
  • se recusa a usar roupas novas ou duras, roupas com texturas ásperas, gola alta, calça jeans, chapéus, ou correias, etc;
  • evita usar as mãos para jogar;
  • evita/não gosta/contrário ao “jogo sujo”, areia, lama, água, cola, glitter, Playground, massinha de modelar, lodo, espuma de barbear etc;
  • apresenta-se afligito por mãos sujas e deseja limpar ou lavá-los frequentemente;
  • não gosta excessivamente de cócegas;
  • aflito com costuras de meias e pode recusar a usá-los;
  • angustiado por roupas esfregando na pele, pode querer usar shorts e mangas curtas durante todo o ano, as crianças podem preferir estar nu e tirar as fraldas e roupas constantemente ou, pode querer usar camisas de manga comprida e calças compridas durante todo o ano e evitar  a exposição da pele;
  • angustiado por ter rosto lavado;
  • angustiado sobre ter o cabelo, as unhas dos pés ou unhas da mão cortado;
  • resiste a escovar os dentes e é extremamente temeroso do cirurgião-dentista;
  • come apenas determinados gostos e texturas, texturas misturadas tendem a ser evitados assim como alimentos quentes ou frios;
  • resiste a experimentar novos alimentos;
  • recusa a andar descalço na grama ou areia, podendo caminhar apenas nas pontas dos dedos.
  1. Hipersensibilidade  de Toque 
  • pode ansiar o toque, tem de tocar tudo e todos;
  • não tem problemas em ser tocado(a)/bateu a não ser feito com extrema força ou intensidade;
  • não é incomodado por lesões, como cortes e contusões e não mostra nenhuma aflição;
  • pode não estar ciente de que as mãos ou o rosto está sujo ou se sentir seu nariz correndo;
  • pode ser auto-agressivo; beliscar, morder ou bater com a própria cabeça;
  • objetos á boca excessivamente;
  • repetidamente toca superfícies ou objetos que são suaves (cobertor);
  • busca de superfícies e texturas que fornecem feedback tátil forte;
  • procura jogar sujo;
  • anseia por vibração ou forte entrada sensorial;
  • tem uma preferência e desejo por alimentos excessivamente picantes, doces, azedos ou salgados.
  1. Percepção Tátil e Discriminação:
  • tem dificuldade com tarefas motoras bem como abotoar, fechar e roupas de fixação;
  • pode não ser capaz de identificar qual parte do seu corpo foi tocado;
  • pode ter medo do escuro;
  • parece ser um armário desarrumado; Parece despenteado, não percebe as calças estão torcidas, camisa é un meio escondido, sapatos estão desamarrados, etc;
  • tem dificuldade para usar tesouras, lápis de cor ou talheres;
  • continua levar a boca objetos para explorá-las;
  • tem dificuldade em descobrir características físicas dos objetos; forma, tamanho, textura, temperatura, peso, etc.;
  • pode não ser capaz de identificar objetos pelo tato, visão de usos para ajudar; tais como, atingindo em mochila ou mesa para recuperar um item.

Sentido vestibular: De entrada do ouvido interno sobre equilíbrio, mudanças gravitacionais, experiências de movimento e posição no espaço.

Sinais de Disfunção Vestibular:
  1. Hipersensibilidade à Circulação 
  • equipamentos de playground _ evita/não gosta; ou seja, balanços, escadas,  carrosséis;
  • prefere tarefas sedentárias, move-se lentamente e cautelosamente, evita correr riscos e pode aparecer “chorão”;
  • evita/não gosta de elevadores e escadas rolantes pode preferir ficar sentado enquanto estão sobre eles ou, na verdade enjoo deles;
  • fisicamente pode se agarrar a um adulto em que confiam;
  • pode aparecer com medo de cair, mesmo quando não há nenhum risco real;
  • medo de altura, nem a altura de uma calçada ou passo;
  • temerosos de pés deixando o chão;
  • medo de subir ou descer escadas ou andar sobre superfícies irregulares;
  • medo de ser derrubado de cabeça para baixo, para os lados ou para trás;
  • resistirá fortemente em lavar o cabelo na pia;
  • assusta-se com outra pessoa ao move-lo, ou seja, empurrando sua cadeira para mais perto;
  • como uma criança, pode nunca ter gostado de balanços de bebê ou os jumpers;
  • pode ter medo e têm dificuldade em andar de bicicleta, pulando, pulando ou balanceamento em um pé (especialmente com os olhos fechados);
  • perde o equilíbrio facilmente e pode parecer desajeitado;
  • temeroso em realizar atividades que requerem bom equilíbrio;
  • evita movimentos rápidos ou rotativos.
  1. Hipersensibilidade de Movimento 
  • em constante movimento não consegue ficar parado;
  • anseia por rapidez, girando, e/ou experiências de intenso movimento;
  • adora ser atirado no ar;
  • poderia girar por horas e nunca parece estar tonto;
  • ama os passeios rápidos, intensos e/ou assustadoras em parques de diversões;
  • sempre esta pulando na mobília, trampolins, girando em uma cadeira giratória ou entrando de cabeça para baixo;
  • adora balançar tão elevado quanto possível e por longos períodos de tempo;
  •  “fortes emoções” pode ser perigoso em alguns momentos;
  • sempre correndo, pulando, pulando, etc, ao invés de andar;
  • corpo de rochas, treme a perna, ou cabeça enquanto está sentado;
  • gosta de movimentos súbitos ou rápidos.
  1. Tônus muscular pobre e/ou coordenação:
  • tem um corpo mole,
  • frequentemente cai, deita-se, e/ou se inclina a cabeça na mão ou braço enquanto trabalha na sua mesa;
  • dificuldade simultânea para  levantar cabeça, braços e pernas do chão enquanto deitado no estômago (posição de “superman”);
  • muitas vezes senta-se em uma posição de “Sentar W” no chão para estabilizar o corpo;
  • cansa facilmente!;
  • dificuldade em girar maçanetas, puxadores, abertura e fechamento de itens;
  • dificuldade em pegar algo se cair;
  • dificuldade em vestir-se e fazer fechos, zíperes e botões;
  • pode nunca ter rastreado como um bebê;
  • tem consciência do corpo fraco como estar sempre tendo colisões em coisas, derruba as coisas, e/ou parece desajeitado;
  • pobre de habilidades motoras como: saltar, pegar uma bola, jaques de salto, subindo uma escada, etc;
  • dificuldade para usar  “ferramentas”, tais como lápis, talheres, pentes, tesouras, etc.;
  • pode aparecer destro, frequentemente trocar de mão para coloração, corte, escrita, etc.;
  • Não tem uma preferência estabelecida mão/predominância por 4 ou 5 anos de idade;
  • tem dificuldade em lamber uma casquinha de sorvete;
  • parece estar inseguro sobre como mover o corpo durante o movimento, por exemplo, passando por cima de algo.

Proprioceptiva: de entrada dos músculos e articulações sobre a posição do corpo, peso, pressão, estiramento, movimento e mudanças na posição no espaço.

Sinais de Disfunção Proprioceptiva:
  1. Sensorial Buscando Comportamentos:
  • procura as atividades pulando, batendo e batendo;
  • Pisa pés ao caminhar;
  • chuta seu/seus pés no chão ou cadeira enquanto está sentado na mesa/mesa;
  • morde ou chupa os dedos;
  • adora ser firmemente embrulhado em cobertores, especialmente na hora de dormir;
  • prefere roupas (e cintos, capas, cadarços) para ser tão apertada quanto possível;
  • gosta de abraços de urso;
  • comete excesso batendo com brinquedos e objetos;
  • adora jogos de combate/luta livre;
  • frequentemente cai no chão intencionalmente;
  • iria pular de um trampolim por horas a fio;
  • (range) seu dentes durante todo o dia;
  • adora empurrar/puxar/arrastando objetos;
  • adora saltar fora a mobília ou de lugares altos;
  • frequentemente atinge a solavancos ou empurra outras crianças;
  • mastiga canetas, canudos, mangas de camisa, etc.
  1. Dificuldade com “Classificação de Movimento”:
  • desconhece o quanto pode flexionar e estender os músculos durante atividades/tarefas (ou seja, colocando os braços em mangas ou escalada);
  • dificuldade, regulação da pressão quando escrita/desenho;
  • pode ser muito leve para ver ou tanto a ponta da escrita quebra;
  • trabalho sujo, muitas vezes rasga o papel quando apagar;
  • sempre parece estar quebrando objetos e brinquedos;
  • desconhece o peso de um objeto, como um copo de suco, pega-lo com muita força, envia-lo a voar ou derramar, ou com muito pouca força e reclamando sobre objetos sendo muito pesado;
  • pode não entender a ideia de “pesado” . Não seria capaz de segurar dois objetos e dizer-lhe que pesa mais;
  • parece fazer tudo com muita força; ou seja, andando, portas batendo, pressionando as coisas demais, batendo com objetos em baixo;
  • joga com animais com muita força, muitas vezes a feri-los.
Sinais de disfunção auditiva:

OBS: (nenhum problema diagnosticado audição)

  1. Hipersensibilidade a sons (auditiva defensiva):
  • distraído por sons normalmente não são notados por outros, ou seja, cantarolando de luzes ou geladeiras, ventiladores, aquecedores ou relógios;
  • temeroso do som de uma descarga sanitária (especialmente em banheiros públicos), aspirador, secador de cabelo, sapatos barulhentos ou um cachorro latindo;
  • distraído pelo barulho alto ou inesperado;
  • incomodado/distraído por sons ambientais de fundo; ou seja  exterior/ construção;
  • frequentemente pede às pessoas para ficar quieto, ou seja, parar de fazer barulho, falando ou cantando;
  • corre, grita, e/ou cobre orelhas com sons altos ou inesperados;
  • se recusa a ir a cinemas, desfiles, shows musicais etc;
  • pode decidir se ele gosta de certas pessoas pelo som de sua voz.
  1. Hipersensibilidade de Sons
  • muitas vezes não responde para pistas verbais ou o nome sendo chamado;
  • adora música excessivamente alta ou TV;
  • parece ter dificuldade em entender ou lembrar o que foi dito;
  • parece alheio a certos sons;
  • parece confuso sobre de onde vem um som;
  • precisa de direções, repetidas muitas vezes, ou vai dizer, “O quê?” com frequência.
Sinais de Disfunção Oral de Entrada:
  1. Hipersensibilidade à Oral (defesa Oral) de entrada:
  • repertório limitado de alimentos, exigentes sobre marcas, resistivo para tentar novos alimentos ou restaurantes e não pode comer em casas de outras pessoas;
  • só pode comer alimentos “macios” como puré (últimos 24 meses de idade);
  • pode engasgar com alimentos texturizados;
  • tem dificuldade com sucção, mastigação e deglutição;
  • pode engasgar ou ter medo de engasgar;
  • resiste/recusa/extremamente temeroso de ir ao dentista;
  • só pode comer alimentos quentes ou frios;
  • se recusa a lamber envelopes, selos ou adesivos, devido ao seu sabor;
  • não gosta ou reclama de creme dental e enxaguatório bucal;
  • evita alimentos temperados, picantes, doces, ácidos ou salgados, prefere alimentos brandas.
  1. Hipersensibilidade a Entrada Oral 
  • pode lamber, saborear ou mastigar objetos não comestíveis;
  • prefere alimentos com sabor intenso, ou seja, excessivamente picante, doce, azedo ou salgado;
  • frequentemente mastiga o cabelo, camisa ou dedos;
  • constantemente coloca objetos na boca;
  • age como se todos os alimentos tivessem o mesmo gosto;
  • ama o vibrar das  escovas de dentes e até mesmo viagens ao dentista.
  • Sinais de disfunção olfativa (cheiros):
  1. Hipersensibilidade aos Odores 
  • reage negativamente, ou não gosta de cheiros que não costuma incomodar, ou ser notados, por outras pessoas;
  • diz a outras pessoas (ou fala) como é  ruim;
  • se recusa a comer certos alimentos por causa do seu cheiro;
  • ofendido e/ou nauseado por odores do banheiro;
  • incomodado/irritado pelo cheiro de perfume ou colônia;
  • incomodado por odores domésticos ou cozimento;
  • recusa a brincar na casa de alguém por causa dos cheiros;
  • decide se ele/ela gosta de alguém ou algum lugar a partir de cheiros.
  1. Hipersensibilidade de Cheiro
  • tem dificuldade de  discriminar odores desagradáveis;
  • pode beber ou comer coisas que são venenosas, porque  não nota o cheiro nocivo;
  • incapaz de identificar cheiros;
  • não nota ou ignora odores desagradáveis;
  • faz uso excessivo de cheirar quando o introduz a objetos, pessoas, ou lugares;
  • usa o cheiro para interagir com objetos.
Sinais de Disfunção de entrada Visual (não diagnosticado défice Visual):
  1. Hipersensibilidade à Entrada Visual 
  • sensíveis a luzes brilhantes, vai apertar os olhos, tapa os olhos, chorar e/ou dores de cabeça da luz;
  • tem dificuldade em manter os olhos focados na tarefa/atividade, que ele está trabalhando para uma quantidade adequada de tempo;
  • facilmente distraído por outros estímulos visuais no quarto, ou seja, movimento, decorações, brinquedos, janelas, portas, etc;
  • tem dificuldade em quartos coloridos brilhantes ou um quarto mal iluminado;
  • esfrega seu olhos, tem olhos lacrimejantes ou tem dores de cabeça depois de ler ou ver TV;
  • evita contato visual;
  • gosta de brincar no escuro.
  1. Hipersensibilidade a entrada Visual 
    (sob responsivo ou dificuldade com a percepção, discriminação ou acompanhamento):
  • tem dificuldade em distinguir entre semelhantes letras impressas ou figuras; ou seja, p & q, b e d, + e x, ou quadrado e retângulo;
  • tem dificuldade de  focar nos detalhes ou padrões dentro da imagem/desenho;
  • tem dificuldade em localizar itens entre outros itens, ou seja, os papéis sobre uma mesa, roupas numa gaveta, itens em uma prateleira de supermercado, ou brinquedos em uma caixa de brinquedo;
  • muitas vezes perde lugar ao copiar de um livro ou do quadro-negro;
  • dificuldade em controlar o movimento dos olhos para acompanhar e seguir objetos em movimento;
  • tem dificuldade em distinguir entre diferentes cores, formas e tamanhos;
  • muitas vezes perde o seu lugar durante a leitura ou fazendo problemas de matemática;
  • faz reversões em palavras ou letras ao copiar, ou lê as palavras de trás para a frente; ou seja, “foi” para “vi” e “não” para “on” após a primeira série;
  • reclama “vendo duplo”;
  • dificuldade em encontrar diferenças em imagens, palavras, símbolos ou objetos;
  • dificuldade com espaçamento consistente e tamanho das letras durante a escrita e/ou alinhar números em problemas de matemática;
  • dificuldade com quebra-cabeças, copiando as formas e/ou ao longo de uma linha de corte/rastreamento;
  • tende a escrever em uma inclinação (para cima ou para baixo da colina) em uma página;
  • confunde esquerda e direita;
  • fatiga -se facilmente com o trabalho escolar;
  • dificuldade em julgar relações espaciais no ambiente, ou seja, esbarra objetos/pessoas ou tropeços em freios e escadas.
Disfunção do Processamento Auditivo-língua:
  • não é possível localizar a fonte de um som;
  • dificuldade em identificar as vozes do povo;
  • dificuldade discriminar entre sons/palavras;
  • dificuldade filtrar outros sons ao tentar prestar atenção a uma pessoa falando;
  • incomodado pelo barulho alto, súbito, metálico ou agudo;
  • dificuldade de resolver, de compreensão e de lembrar o que é dito ou lido;
  • muitas vezes pede indicações para ser repetido e só pode ser capaz de compreender ou acompanhar duas direções sequenciais de cada vez;
  • Olha para os outros antes de responder;
  • dificuldade de colocar idéias em palavras (escrita ou verbal);
  • muitas vezes fala fora da sua vez;
  • se não entendeu, tem dificuldade re-frasear; pode ficar frustrado, zangado e desistir;
  • dificuldade de leitura, especialmente em voz alta (podem também ser disléxico);
  • dificuldade de articulação e falando claramente;
  • capacidade de falar muitas vezes melhora após intenso movimento.
Social, Emocional, Play e Disfunção de Auto-regulação
Social:
  • dificuldade em obter convivência junto com seus pares;
  • prefere jogar sozinho com objetos ou brinquedos do que com as pessoas;
  • não interage mutuamente com os pares ou adultos;
  • difícil ter uma conversa de duas vias “significativa”;
  • auto-agressivo ou abusivo para outros;
  • têm dificuldade em interpretar necessidades ou emoções;
  • não procura conexões com pessoas familiares.
Emocional:
  • dificuldade em aceitar mudanças na rotina;
  • fica facilmente frustrado;
  • muitas vezes impulsivo;
  • funciona melhor em pequeno grupo ou individual;
  • variável e mudança rápida de humor;
  • propensos a explosões e birras;
  • prefere jogar do lado de fora, longe de grupos, ou apenas ser um observador.
  • evita contato visual.
Joga:
  • dificuldade com jogo imitativo (mais de 10 meses);
  • vagueia sem rumo sem jogar proposital ou exploração (mais de 15 meses);
  • precisa de orientação de um adulto para jogar pois tem dificuldade de jogar de forma independente (mais de 18 meses);
  • participa no jogo repetitivo durante horas, ou seja, alinhando brinquedos carros, bloqueia.
Autoregulação:
  • excessiva irritabilidade, agitação ou cólica como uma criança;
  • não se acalma somente através de chupeta, objeto de conforto ou cuidador;
  • requer ajuda excessiva do cuidador para adormecer, ou seja, esfregar as costas ou cabeça, balançar, longas caminhadas ou passeios de carro.
Regulamento interno (sentido interoceptiva):
  • se torna demasiadamente quente ou demasiadamente frio mais cedo que outros nos mesmos ambientes;
  • dificuldade em temperaturas extremas ou indo de um extremo a outro (ou seja, inverno, verão, indo de ar condicionado de calor exterior, uma casa aquecida para a frio);
  • respiração muito rápida, muito lento, ou não pode mudar de um para o outro facilmente como o corpo exige uma resposta respiratória adequada;
  • taxa de coração que acelera ou desacelera muito rápido ou muito devagar com base em exigências impostas;
  • respiração e batimento cardíaco que leva mais tempo do que é esperado para desacelerar durante ou após esforço ou medo;
  • varia de humor durante todo o dia (com raiva para feliz em curtos períodos de tempo, talvez sem causa aparente);
  • imprevisível estado de excitação ou incapacidade para controlar o nível de excitação (hiper para letárgico, rapidamente, vacilando entre as duas, mais estimulado a menos estimulada, dentro de horas ou dias, dependendo da atividade e configuração, etc.);
  • frequente constipação ou diarreia, ou misturado durante o mesmo dia ou alguns dias;
  • Não parece saber quando tem que ir (ou seja, não sente a sensação necessária que o intestino ou bexiga estão cheios);
  • não é possível regular a sede, esta sempre com sede ou nunca com sede, ou oscila para frente e para trás;
  • não é possível regular a fome, come o tempo todo ou não come nada, incapaz de sentir completa/com fome;
  • não é possível regular o apetite, tem pouco apetite e/ou vontade de “comer” um minuto, em seguida, completa duas mordidas mais tarde e, em seguida, voltar à fome novamente (propenso a distúrbios alimentares).

Outras sugestões de links sobre TPS:

http://centroevolvere.com.br/blog/transtorno-do-processamento-sensorial-e-algo-serio/

http://centroevolvere.com.br/blog/como-identificar-possiveis-sinais-de-transtorno-do-processamento-sensorial-na-sala-de-aula/

https://lagartavirapupa.com.br/transtorno-de-processamento-sensorial-com-ou-sem-autismo/

http://entendendoautismo.com.br/artigo/disturbio-do-processamento-sensorial-no-tea/


Se você tem outras sugestões de atividades, ou outros materiais, compartilhe conosco para que possamos continuar compartilhando saberes e facilitando o trabalho de milhares de profissionais em todo o Brasil. Basta enviar para o e-mail: blog.psiqueasy@gmail.com

antes e depois do PsiquEasy

Veja também: Brincadeiras e Jogos Psicopedagógicos

Leia ainda: Questionário para Diagnóstico Psicopedagógico/Guia de Observação para Professores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Chamar no WhatsApp